Grêmio

Grêmio
Mais uma vitória em busca do tri!

Internacional

Internacional
A semana, a ideia de Roth, o Inter B.

Grêmio

Grêmio
Maylson garante mais uma vitória

Internacional

Internacional
O Inter estará pronto dia 16?

Um Ranking possível desde 1948

6 de jan de 2012

Olá, leitores, torcedores de diferentes times do país.

Rapidamente, lembro os critérios citados em textos anteriores para chegar a um ranking possível, sem quaisquer pretensões de defendê-lo como a verdade absoluta e de futuramente "mundializar" a classificação, para os clubes brasileiros.

- A pontuação do Mundial/Intercontinental é de acordo com o número de partidas, de modo que a edição experimental do torneio da FIFA de 2000 e a competição atual dobrem o valor da Copa Libertadores se o campeão obtiver a pontuação máxima, ou seja, dois triunfos no tempo normal asseguram 30 pontos. Uma vitoria nos pênaltis asseguraria 10. Derrota assim na final um. Para o Corinthians considerou-se 22 pontos, valendo 6 as partidas da fase de grupos (houve um empate contra o Real Madrid) e 8 o triunfo por penalidades, na final. O Vasco - atribuindo-se 3 pontos pra vitória contra o campeão da Oceania - ficou com 16.

- As vitórias do Flamengo, em 1981, e do Grêmio, em 1983, com bola andando, (mesmo que na prorrogação no caso do time gaúcho) valeram 27 pontos. A derrota apenas nos pênaltis do tricolor pro Ajax, em 1995, garantiu dois.

- Principal Competição Continental da América do Sul, desde 1960: 30 Pontos.

- Torneio Sul-Americano de 1948 (marco inicial da classificação histórica), Brasileirão e Copa João Havelange (aqui, sem pontos para o vice, pela diferença de formato da competição): 16 Tentos.

- A pontuação dos vices é proporcional ao que fizeram realmente em cada campanha. Quando o terceiro alcançou desempenho melhor do que o segundo (no caso do campeonato nacional, é espantoso observar que a proporção mais ou menos se manteria, na hipótese de "expurgarmos" os jogos contra os pequenos que incharam a competição no período de formulismo....), também recebeu pontos. Sempre que os segundos não participaram desde a primeira fase ao lado dos grandes, ou não alcançaram 50% de aproveitamento pelos atuais parâmetros, ficaram com metade da pontuação dos primeiros. Portanto, 15 para o vice da competição continental e 8 para o Campeonato Brasileiro (casos de Vasco, em 1979, Bangu em 1985 e Vitória-BA, em 1993). Se no Brasileirão dos pontos corridos, segundo e terceiro empatarem, o último também receberá pontos. No que se refere ao Torneio Mundial da FIFA, somente haverá a possibilidade quando o número de participantes for ampliado para pelo menos oito.

- 15 Pontos valeu o Robertão de 1967. 12 Pontos para o que o Santos faturou no torneio dos campeões mundiais (ou intercontinentais) somado à Recopa Intercontinental em 1968-69. 12 também para Palmeiras e Fluminense, pelas conquistas das duas edições da Copa Rio.

- 10 Pontos para todas as competições continentais secundárias, incluindo a Super-Copa dos Campeões.

- 6 Pontos para todos os Torneios Nacionais, incluindo o dos Campeões, disputado na virada do século.

- 5 Pontos: Copa Sul-Minas, Torneios dos Campeões Nacionais (1982), Heleno Nunes, que assegurou ao Internacional ser a base da Seleção Olímpica em 1984, e Rio-São Paulo. Pelas razões explicadas acima, é o que o Cruzeiro recebeu pelo empate com o Bayern München no Mineirão, em dezembro de 1976.

- 4 Pontos: Além de outras copas regionais com pelo menos um campeão nacional, a Seletiva de 1999, conquistada pelo Atlético-PR, para a Taça Libertadores 2000.

- 3 Pontos: Para Goiás e S. Raimundo, por serem tri-campeões nos interestaduais conquistados.

- 2 Pontos: Embrião da Copa Nordeste, disputado em 1966, vencido pelo Náutico. Recopa, Copa Ouro, Copa Master Conmebol.

- O torneio Rio-São Paulo de 1966, que na prática resultou inacabado, não foi levado em conta. Assim como a Copa Suruga, Troféus Juan Gamper, Tereza Herrera, Copa Dubai e competições semelhantes. A Copa Nordeste, a partir de 2003, não entrou mais na contagem. Receberá valorização, novamente, a partir da temporada que começa.

Eis o resultado da análise de 74 anos de competições além-divisa do futebol brasileiro, com vigência plena do profissionalismo:

1. São Paulo - 504 Pontos (!)

2. Santos - 372 Pontos

3. Palmeiras - 314 Pontos

4. Internacional - 285 Pontos

5. Cruzeiro - 263 Pontos

6. Grêmio - 262 Pontos

7. Corinthians - 189 Pontos

8. Flamengo - 188 Pontos (100% dos tentos obtidos com títulos! Este blogueiro considera o Rubro-Negro campeão da Copa União, de 1987, assim como o Colorado vice, respeitando opiniões contrárias.)

9. Vasco da Gama - 186 Pontos

10. Fluminense - 105 Pontos

11. Atlético-MG - 88 Pontos

12. Botafogo-RJ - 73 Pontos

13. Atlético-PR - 60 Pontos

14. Guarani - 44 Pontos

15. São Caetano - 43 Pontos

16. Bahia - 30 Pontos

17. Portuguesa-SP - 25 Pontos

18. Coritiba - 24 Pontos

19. Vitória-BA - 16 Pontos

20. Bragantino - 15 Pontos

21. Sport Recife - 14 Pontos

22. Bangu - 8 Pontos

23. Criciúma - 6 Pontos (Aqui, para o desempate, dois critérios, além da qualidade técnica dos times envolvidos na disputa: a) A permanência, ou o número de edições, da competição vencida no calendário nacional; b) O aproveitamento do campeão)

24. Juventude - 6 Pontos

25. Santo André - "

26. Paulista - "

27. Paysandu - "

28. América-MG - 5 Pontos

29. América-RJ - 5 Pontos

30. América-RN - 5 Pontos

31. Goiás - 3 Pontos

32. São Raimundo - 3 Pontos

33. Náutico - 2 Pontos.

Na semana que vem, como ficaria a contagem, valorizando somente os títulos.

0 comentários:

Postar um comentário

 

2009 ·Gol de Letras by TNB