Grêmio

Grêmio
Mais uma vitória em busca do tri!

Internacional

Internacional
A semana, a ideia de Roth, o Inter B.

Grêmio

Grêmio
Maylson garante mais uma vitória

Internacional

Internacional
O Inter estará pronto dia 16?

(Quase) Realizando um sonho

16 de abr de 2010

O garoto era um cruzeirense fanático, tem só 12 anos mas já sabe mais do time que qualquer um. Na final da Libertadores do ano passado ele ficou praticamente de luto, duas semanas sem falar com ninguém e os olhos inchados.
Fui eu quem deu a primeira camisa celeste pra ele, a menor que tinha na loja ainda ficou um pouco grande, ainda assim ele usava ela dia-sim-dia-não. Morando bem longe da capital nunca pôde ver o time, até tentou ir em algumas partidas no Ipatingão, mas a asma dele não colaborada em véspera de jogos.
Lembro que quando fui no 2 x 2 em Ipatinga ele pediu que eu desse pra ele a camisa que eu tinha usado pra assistir o jogo:
_ É o mais próximo que já cheguei de ver o time de perto. - ainda me arrependo de ter negado a camisa branca, que dá um puta azar em jogos decisivos.
Finalmente este ano a asma dele parou de atacar com tanta freqüência, numa visita ao novo médico, em BH, ele aproveitou pra ver o time de perto. Foi com uma camisa nova no corpo e a minha, a primeira dele, nas mãos, chapéu do raposão e toda "alegoria" que achou necessária.
Nem se eu retrocedesse no tempo pra ver Sorín 2002 mais uma vez, ou o time de 66 bater o Santos por 6x2 eu conseguiria acumular tanta felicidade em meus olhos.

O menino não parava de me mandar mensagens "vou ver o Kléber", "quero autógrafo do Fábio", "será que o Jonathan aceita tirar uma foto comigo?", "meu pai vai me levar lá no vestiário, ele prometeu, ele prometeu". Não sei como o pai dele faria isto, mas nunca duvide de uma autoridade pública e seus contatos, sei que quando liguei a TV para assistir o jogo meu coração deu um nó:
"a escalação para o time do Cruzeiro conta com o goleiro Rafael (...)" só de saber que o Fábio não ia jogar era possível prever o resto da escalação toda... nenhum dos ídolos do moleque estariam lá. Não se explica este tipo de sentimento, mas senti a tristeza dele à 300 KM de distância.
No dia seguinte, mal saí da cama e o pequeno já estava lá falando na minha orelha:
_ Aquelas porras não foram jogar! Por que? Por que? Quando eu vou tirar uma foto com o Fábio? Eu levei a  camisa que você me deu pra ele autografar, ah não, ah não. Eu vou processar todo mundo, pelo menos o Adilson foi né, eu gosto do Adilson.
_ Ele que escalou o time reserva.
_ O que? Eu achava que era o Zezé Perrela que fazia isto! Vou rasgar a camisa que o Adilson assinou então, vou rasgar... aquele idiota, escala reserva na cama da mãe dele, na cama da mulher dele... filho da mãe, filho da mãe. - com os olhos cheios de lágrimas.

0 comentários:

Postar um comentário

 

2009 ·Gol de Letras by TNB